Mon. Jun 17th, 2024

Quando os meteoritos pousam na Terra, os micróbios logo começam a colonizá-los. Se Marte já teve vida, micróbios podem ter colonizado meteoritos lá também.

Meteoritos encontrados na superfície de Marte podem conter evidências fossilizadas de vida – que podem ser investigadas por rovers atuais e futuros no Planeta Vermelho.

Quando os meteoritos caem na Terra, eles são conhecidos por uma rápida contaminação por micróbios. Estes podem deixar marcadores reveladores de sua presença para trás. Por exemplo, alguns podem se enterrar no meteorito e criar túneis microscópicos. Outros podem alterar sutilmente a composição química da rocha. Mas não estava claro com que sucesso os meteoritos poderiam preservar essa evidência.

Alastair Tait, da Monash University, na Austrália, e seus colegas analisaram sete meteoritos que encontraram na planície de Nullarbor, no sul da Austrália, alguns dos quais caíram até 40.000 anos atrás. Eles descobriram que todos continham evidências de microorganismos fossilizados, que foram sepultados dentro do meteorito, bem como mudanças químicas causadas pelos micróbios. “Ninguém realmente olhou para meteoritos preservando micróbios antes”, diz Tait.

Cerca de 3 bilhões de anos atrás, Marte pode ter tido as condições necessárias para a vida, incluindo uma atmosfera mais espessa e água líquida em sua superfície. Tait diz que quaisquer meteoritos que caíram em Marte antes ou durante este período, em um local habitável, podem ter sido contaminados pela vida marciana da mesma forma que os meteoritos que caem na Terra são contaminados pela vida terrestre. “Eles teriam sido essencialmente uma cápsula do tempo”, diz ele.

Acreditava-se que um meteorito marciano recuperado na Terra em 1996, Allan Hills 84001, continha evidências de vida, mas poucas pessoas hoje aceitam essas evidências.

Áine O’Brien, da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, diz que os meteoritos em Marte já eram conhecidos por oferecer um registro “muito bom” da história geológica do planeta. “Eles são imaculados quando chegam e distintos da superfície marciana”, diz ela, para que possam conter um registro de habitabilidade passada. “Se houvesse vida, você esperaria ver evidências disso.”

No entanto, meteoritos que estão na superfície de Marte há bilhões de anos terão sido bombardeados por radiação, talvez apagando qualquer evidência. “O ambiente de radiação seria um grande fator”, diz ela.

Dezenas de meteoritos foram encontrados em Marte por rovers atuais e antigos. Tait diz que essas rochas podem ser os principais alvos de sinais de vida antiga, tanto pelo rover Perseverance da NASA que está atualmente em Marte e coletando amostras para retornar à Terra, quanto pelo próximo rover ExoMars da ESA, que foi adiado pela invasão da Ucrânia pela Rússia.

Tanja Bosak, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, parte de uma equipe que seleciona amostras para o Perseverance coletar para um possível retorno à Terra, diz que ainda não há planos para o rover coletar meteoritos. “É difícil reconhecer uma rocha como um meteorito”, diz ela. “Não temos tempo para parar e examinar todas as rochas aleatórias.”

Sara Motaghian, do Imperial College London, no entanto, está desenvolvendo ferramentas analíticas para as câmeras da ExoMars para identificar rapidamente meteoritos em Marte. Ela diz que as mesmas ferramentas podem ser usadas pelo Perseverance. “Podemos estudá-los com a broca ou esmagando-os com as rodas”, diz ela, observando que o interior de alguns meteoritos de Marte pode até fornecer proteção contra a radiação e ser “pequenos habitats” para a vida que pode estar lá agora.

Mesmo que os rovers não testem diretamente os meteoritos, Tait diz que algumas das amostras devolvidas pelo Perseverance conterão material meteorítico que foi misturado ao solo marciano. “Se alguns desses fragmentos forem grandes, poderemos procurar vida”, diz ele.

Referência do periódico: Astrobiology, DOI: 10.1089/ast.2020.2387

Por Favor Increvam-se no Canal do AstroAnimatorVFX, é muito importante para poder continuar este trabalho para o público de lingua portuguesa e do Brasil.

https://www.youtube.com/c/AstroAnimatorVFX/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *