Mon. Jun 17th, 2024

O reator ajudará a sustentar futuras missões na Lua, Marte e além, de acordo com a NASA.

Você ou um amigo sabem construir um reator nuclear movido a urânio que pode caber dentro de um foguete de 4 metros de comprimento por 6 metros de largura? Você conseguirá terminar o trabalho até o final da década? Em caso afirmativo, a NASA e o Departamento de Energia dos EUA gostariam de ouvir de você!

De acordo com uma declaração do Laboratório Nacional de Idaho (INL) do Departamento de Energia em 19 de novembro, o laboratório está se unindo à NASA para colocar um reator de fissão “durável, de alta potência e independente do sol” na lua dentro dos próximos 10 anos. As duas agências estão atualmente buscando propostas de parceiros externos para dar início a este grandioso projeto, com prazo de envio até 19 de fevereiro de 2022.

Este reator hipotético ajudaria a transformar a lua em uma base extraterrestre para a exploração espacial humana, incluindo futuras missões tripuladas a Marte, disseram funcionários da agência.

“A energia abundante será a chave para a futura exploração espacial”, disse Jim Reuter, administrador associado da Diretoria de Missão de Tecnologia Espacial da NASA em Washington, D.C., em comunicado. “Espero que os sistemas de energia de superfície de fissão beneficiem muito nossos planos para arquiteturas de energia para a Lua e Marte e até mesmo conduzam a inovação para uso aqui na Terra.”

A chamada de propostas vem com algumas orientações básicas. O reator proposto deve ser um reator de fissão movido a urânio – ou seja, um aparelho que pode dividir núcleos atômicos pesados ​​em núcleos mais leves, liberando energia como subproduto. (A fusão nuclear, por outro lado, envolve a combinação de dois ou mais átomos mais leves em um mais pesado, também liberando energia no processo).

O reator não deve pesar mais do que 6.000 kg e caber em um foguete com as dimensões listadas acima. O reator será montado na Terra e, em seguida, lançado à Lua, onde deverá fornecer 40 quilowatts de energia elétrica contínua por 10 anos. O reator também deve ter controles de temperatura para manter o dispositivo resfriado. (A temperatura na lua pode chegar a mais de 127 graus Celsius, durante o dia.)

O pedido de propostas chega enquanto a NASA começa a intensificar seu programa Artemis, que visa criar uma presença humana sustentável na Lua até o final da década. O programa, que planeja devolver humanos à lua pela primeira vez desde 1972, está estimado em cerca de US $ 93 bilhões.

Fontes: (Brandon Specktor) | Siga e se inscreva no AstroAnimatorVFX no YouTube e também no Twitter @Chris_AstroVFX | https://www.cnbc.com/2020/11/15/why-nasa-wants-to-put-a-nuclear-power-plant-on-the-moon.html

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *